Archive for dezembro \24\UTC 2008

Deu no blogue dos caras 2 – Pablo Capistrano

dezembro 24, 2008

Pablo Capistrano – pablocapistrano.com.br

 

Pablo Capistrano escreveu um artigo sobre um golpe financeiro que andou pegando muita gente pelo mundo. Pra introduzir o assunto, ele jogou baixo. hehehe. Falou um palavrão e ainda citou meu nome. Em todo caso, o texto ficou bom.

 

Pablo, um galado, no bom sentido.

Pablo, um galado, no bom sentido.

 

Idiotia financeira.

 

Tecnicamente Bernard Madoff é um galado. Para os natalenses é fácil entender as acepções desse termo aparentemente pejorativo, que ganhou, por essas praias, conotações tão diversas. De acordo com a semântica fialhovitcheana se você diz por exemplo: “Rapaz, fulano é um galado” você pode estar tentando dizer algo do tipo: “rapaz, fulano é um cara legal”; ou mesmo que esse fulano é alguém esperto, “safo”. Alguém que consegue com seus atos e sua habilidade social (ou mesmo com sua coleção particular de presepadas mitológicas) conquistar a admiração da turma. Mas a semântica fialhovitcheana também mostra que o termo “galado” ganha uma conotação completamente diferente se, por exemplo, você ouvir alguém gritar: “Seu galado!”.

Nesse caso é melhor se abaixar, desviar o rosto porque é muito provável que alguém esteja na iminência de te dar um bofete (ou jogar um sapato na sua cara)…

Para ler o resto, acesse o www.pablocapistrano.com.br

 

Nos blogues dos caras 1

dezembro 18, 2008

Coluna Bazar – Alex de Souza – Nominuto.com.br

 

Morreu essa semana Seu Pedrinho Catombo, dono do bar do Pedrinho, no beco da Lama. O jornalista Alex de Souza postou em sua coluna no Nominuto, um belíssimo texto sobre o local. Posto aqui um trecho e o linque da coluna para que vocês leiam o restante. Vale a pena. Alex botou pra fuder!

 

http://www.nominuto.com/colunas/bazar/pedrinho_catombo/31619/

 

 

 

Entrerios – Blogue do Modrack

 

Outro post de blogue interessante saiu no Entrerrios de Modrack. Ele lançou uma campanha de libertação de livros que é uma ótima iniciativa para este fim de ano. Eu vou deixar um de presente pro meu amigo secreto verdadeiramente secreto.

 

http://entrerios.wordpress.com/

Print

Cantos das Cidades – O início

dezembro 16, 2008

Quando a gente lança um livro, fica muito, muito feliz mesmo. Aliás, não é nem o lançamento em si, quando a gente divide com os amigos e leitores, o resultado do trabalho, que nos deixa mais exultantes. O momento em que o danado chega da gráfica e cai em nossas mãos, pronto, impresso, bonito, com suas cores e laminações, orelhas e reservas de verniz, miolo e prefácio, forma e conteúdo, dizendo para nós: “Ó eu aqui, ó. Cheguei!”, nos deixa mais feliz.

 

E a razão de tanta felicidade talvez se deva ao tempo de gestação, o esforço empreendido antes do livro ficar pronto, toda a trajetória desde a idéia original até a concretização, quando o danado finalmente sai no papel.

 

O livro que estou escrevendo agora, por exemplo, surgiu em minha mente em 2004. na época, fui influenciado por dois outros livros e autores: “Imaginário Cotidiano” de Moacyr Scliar e “Contos Bregas” de Thiago de Góes. Tive a idéia de escrever um livro de contos em que eu pudesse pinçar uma frase de uma canção e, a partir dali, desenvolver um conto divertido.

 

A princípio era uma mistura das idéias de Moacyr e Thiago, uma vez que o primeiro desenvolveu os contos de seu livro a partir de manchetes de jornal e o segundo utilizou as músicas como epígrafes e fontes de inspiração.

 

No entanto, eu queria ir mais além. Para ser diferente e minimamente original, eu precisava fazer algo mais do que isso. Então decidi que eu escolheria canções de bandas ou intérpretes originários de todos os estados do Brasil e o conto que cada um deles inspirasse seria passado em sua cidade de origem. Começou a ganhar corpo assim o livro “Cantos das Cidades”.

 

Para que o resultado pudesse ser o mais fiel possível à realidade das cidades, verossímil, real, pedi a ajuda de amigos nativos de cada uma das cidades-cenários do livro. O processo é o seguinte: escrevo um primeiro tratamento do conto, depois submeto a alguém natural da cidade para que ele possa fazer alterações, correções, sugestões e acréscimos. Feitas as adaptações, esse colaborador se torna co-autor do conto. Com isso, teremos um livro com 27 autores.

 

Nenhum dos co-autores pode ser escritor, para que eu não pegue carona no carisma ou no nome de ninguém, mas tem que saber escrever ou exercer alguma atividade ligada às letras ou ter a leitura como hobby.

 

Nesse meio tempo, de 2004 anos pra cá, acabei me envolvendo com outros projetos de livros que caminharam mais depressa e pude terminar antes. Dessa forma, em 2006, lancei “É Tudo Mentira!” e nos próximos meses vou lançar “Mano Celo – O Rapper natalense”.

 

Porém, com esses dois projetos anteriores concluídos, o “Cantos das Cidades” ganhou um novo ânimo e agora acelera o passo. Dos 40 contos finais (não, não errei o número de estados. É que algumas cidades mais importantes, como Natal, por exemplo, terão direito a mais de uma história no livro) já concluí 16 e outros 4 estão sendo alterados e enriquecidos por colaboradores, devendo ser entregues no início de maio.

 

Aqui neste blog, terei o maior prazer em relatar o passo-a-passo da produção do livro para os curiosos, para servir de registro pessoal e também de estímulo, dando um gás extra para que o livro fique pronto em breve.

 

E vâmu pra frente!

 

 

 

Ai, meu Deus!

dezembro 15, 2008

Foi semana retrasada. Na coluna da Digi. Escrevi uma crônica cobre inícios de livros legais e incluí a Bíblia como sendo um dos 3 mais legais. Depois, Minchoni me lembrou que “A LUA VEM DA ÁSIA” do CAMPOS DE CARVALHO também tem um início antológico e eu me ressenti de não ter incluído este. Mas vamos pra frente. Como eu ia dizendo, ao citar a Bíblia num texto tão coloquial acabei atraindo a atenção de alguns extremistas religiosos que fizeram acusações de heresia e falta de respeito desmedida.

 

Eu fico impressionado com a intransigência das pessoas. Ninguém pode falar em religião, política ou futebol que logo aparecem os donos da verdade pra jogar pedra com tentativas torpes de intimidação.

 

Uma pergunta que eu sempre faço a esmo. Será que Deus não tem senso de humor? Será que Ele, sem sua magnânima e divina sabedoria não consegue rir de si mesmo vez ou outra? Enquanto vocês meditam sobre a resposta, seguem algumas dicas de sátiras e episódios bem-humorados a respeito Dele.

 

Deus é pai.

Curta de animação.

Alan Sieber, Otto Guerra e Fábio Zimbres.

 

Em 1999, 3 gaúchos malucos, hereges, materialistas e provavelmente ateus cometeram esta aberração a qualquer regra de bom senso e respeitosa convivência entre cristãos. Tornei-me fã de Alan Sieber tenho comprado todos os seus livros como bom sequelado que sou.

 

 

 

Dogma.

Filme.

Kevin Smith.

 

O católico Kevin Smith um dia resolveu perguntar: “E se Deus fosse um cara bem-humorado?” O resultado é o filme Dogma de 1999, subversivo ao extremo que causou protestos pelos Estados Unidos. Protestos esses frequentados pelo próprio diretor só pra tirar onda.

 

Cartaz do blasfêmico filme de Smith.

Cartaz do blasfêmico filme de Smith.

 

 

No sítio abaixo, uma organização chamada “Frente Universitária Lepanto” combate frontalmente o filme e, como parte de uma campanha intitulada de “Vinde Nossa Senhora de Fátima, não tardeis!”, faz um apelo para que as pessoas se pronunciem contra o filme Dogma.

http://www.lepanto.com.br/CampDogma.html

 

Vejam alguns trechos da carta:

“Caro devoto de Nossa Senhora de Fátima,  Salve Maria!   Um filme perverso contra a Igreja Católica está chegando ao Brasil. Precisamos agir enquanto é tempo para impedir que seja exibido! O alarme nos foi dado por amigos dos Estados Unidos – que promovem a campanha “America Needs Fatima“: os estúdios da Walt Disney – conhecido por suas produções cinematográficas infantis – estão lançando, através de sua filial Miramax, um filme perverso. Este filme satânico – que cinicamente se intitula “Dogma” – constitui um gravíssimo ATENTADO MORAL contra Nossa Senhora, Nosso Senhor Jesus Cristo e a Santa Igreja Católica. E o mais terrível vem agora: Os promotores dessa perversidade estão tramando o lançamento mundial do filme em vários países ao mesmo tempo…”

 

Caráleo! Os produtores, além de terem promovido um lançamento mundial, ainda o fizeram em VÁRIOS PAÍSES AO MESMO TEMPO?!!!

 

Mais um trecho:

“Ao longo do filme as mentiras e as calúnias contra a Fé se multiplicam. Assim, um autodenominado “13º apóstolo” volta para a Terra. Ele seria desconhecido dos Evangelhos por ser da raça negra. Este “apóstolo” também afirma que Jesus era negro e se divertia ouvindo os apóstolos contando histórias imorais à noite em torno do fogo… Precisamos barrar a entrada deste filme no Brasil!!!”

 

Bem, gente, eles não conseguiram barrar. O filme é facilmente encontrado em qualquer locadora. Na vídeo Laser tem, assim como toda a filmografia do Kevin Smith. A maior conclusão que tiro ao ler este sítio é que os católicos não levam muita fé em webdesigners. A página dos caras é feia de doer. Acho que vou indicar Marlos ou o pessoal da Rits pra eles.

 

 

A vida de Brian.

Filme.

Monty Python.

 

Um clássico da irreverência religiosa. A sinopse é a seguinte: Brian nasceu na manjedoura vizinha à de Jesus Cristo e passou a vida inteira sendo confundido com o messias. Impagável como só o Monty Python conseguia ser. Abaixo, tem um trecho em que os personagens cantam a música tema do filme de uma maneira como só anticristos poderiam conceber.

 

 

Deus é pai 2.

 

Pra encerrar, vocês podem ver o vídeo da parte 2 da animação de Alan Sieber.

Boa diversão e queimem no inferno, seus malditos!

 

 

 

TOP 5_Blogues de Intelectuais_RN

dezembro 9, 2008

Atenção para o top de 5 blogues de intelectuais locais (ou radicados no RN).

 

Como eu disse ontem, estou aprendendo a mexer nas cousas por aqui. Assim como terei que apreender a disciplina da atualização diária.

 

Coloquei o blogue no ar com algumas indicações de outros blogues e sítios de gente que tem espaços virtuais. Foram poucos, mas aos poucos, vou crescer a lista de endereços ali do lado para que os leitores deste espaço possam conhecer outras pradarias virtuais para lá de batutas e ótimas de navegar.

 

Mas vamos ao top 5 de hoje.

 

5

Como é o nome?

A margem Subjetiva da Verdade.

Onde fica?

http://amargemsubjetivadaverdade.blogspot.com/

Quem é?

Lucílio Barbosa, poeta.

Como é que é mesmo?

Lucílio é biólogo marinho com mestrado nas letras de música do cantor Belchior. Acho que em algum lugar da juventude ele leu que no futuro a versatilidade seria valorizada e acabou estudando assuntos bastante díspares. Como o futuro nunca chegou para ele, Lucílio se viu obrigado a viver eternamente no presente e acabou sendo condenado a trabalhos forçados numa agência de propaganda como redator publicitário. Entre um trabalho e outro, escreve pedidos de resgate codificados que afirma serem poemas. O departamento de Lingüística da UFRN tem estudado exaustivamente as poesias de Lucílio e já anunciaram a revelação do que vem sendo chamado de “Código Lucílio” para o futuro próximo. Ao saber dessa notícia, nosso biólogo-mestreembelchior-redator-poeta-modelo-e-atriz respirou aliviado. Uma vez que ele sempre vive no presente, jamais verá revelado o seu código poêmico. Sugiro que vocês tentem revelar as poesias de LuB acessando o seu blogue.

O que você não vai encontrar por lá:

Louvores ao novo CD de Marcelo Camelo.

biólogo marinho com mestrado em Belchior.

Lucílio Barbosa: biólogo marinho com mestrado em Belchior.

 

 

 

4

Como é o nome?

Substantivo Plural

Onde fica?

www.substantivoplural.com.br

Quem é?

Tácito Costa, jornalista.

Como é que é mesmo?

Tácito Costa acredita na ética, na democratização da cultura e no debate amplo e aberto em torno de temas edificantes para Natal e o Rio Grande do Norte. Tácito também é entusiasta na Internet e trabalha por um alto índice de audiência. Por isso abriu espaço em seu blogue para quem quiser se manifestar sobre qualquer assunto relacionado à cultura. Com seu jeito de boa gente e vocação para diplomata cativou muitos intelectuais a frequentarem sua página. O que Tácito não contava era que os escritores, artistas, professores, jornalistas culturais e bibliófilos natalenses fossem mais barraqueiros que colunistas sociais e ex-mulheres de políticos juntos. Com isso o Substantivo Plural, que deveria ser uma espécie de Café São Luís das ondas internéticas, acabou se tornando uma versão tupiniquim e internética daquele antigo programa da MTV estadosunidense “Celebrity Death Match” em que artistas se degladiavam e distribuíam sopapos uns contra os outros. O fato é que o sítio do Tácito, em vez de servir de cenário para bons papos, é utilizado como um ringue para brigas de artistas e escritores com o córtex cerebral mais desenvolvido que a média da população. Os constantes embates, provocações, desaforos e declarações de indignação têm elevado a audiência do SP a níveis estratosféricos. Isso só mostra a sagacidade do grande Tácito que nos prova na prática que a sua fé na internet está mais do que certa.

O que você não vai encontrar por lá:

A ordem dos shows do Circo da Folia para o Veraneio de Pirangi.

 

3

Como é o nome?

Aílton Medeiros, jornalista.

Onde fica?

www.ailtonmedeiros.com.br

Quem é?

Aílton Medeiros, jornalista.

Como é que é mesmo?

Jornalista, fanático por informação, torcedor do Botafogo, metralhadora giratória, garimpeiro da internet, Aílton se apraz em destinar gentilezas às mais diversas personalidades da mídia e da política natalense. Tem mais desafetos que o Daniel Dantas, o Edmundo e George W. Bush somados e é famoso por dizer coisas que ninguém tem coragem de dizer. É fã de Paulo Francis e vive detonando gente como Gilmar Mendes, Reinaldo Azevedo, Thaísa Galvão, Marco Aurélio Sá, José Agripino, Cassiano Arruda, Woden Madruga, Vicente Serejo, Robinson e Fábio Faria, Carlos Alberto Parreira, etc, etc,etc… A cobertura das eleições deste ano feita por ele esteve entre as mais divertidas do pleito.

O que você não vai encontrar por lá:

Um soneto em homenagem a Felipe Maia.

 

2

Como é o nome?

Balaio Vermelho

Onde fica?

http://balaiovermelho.blogspot.com/

Quem é?

Moacy Cirne, escritor.

Como é que é mesmo?

Moacy Cirne é cinéfilo, especialista em quadrinhos, poeta, escritor de uma ruma de livros e blogueiro de primeira hora. O seu Balaio Vermelho migrou da versão impressa (o velho e bom fanzine) para o e-mail e posteriormente para o blogue. Quem quiser aproveitar boas dicas de leitura e filmes clássicos, além de saber um pouco mais sobre as histórias em quadrinhos, sugiro que acessem.

O que você não vai encontrar por lá:

Dicas para assistirem Transformers, Anaconda 2 e American Pie 3.

 

O titular deste blogue posa com o escritor Moacy Cirne ao lado dos amigos Daniel Guanabara e Caio Vitoriano.

O titular deste blogue posa com o escritor Moacy Cirne ao lado dos amigos Daniel Guanabara e Caio Vitoriano.

 

1

Como é o nome?

Pablo Capistrano

Onde fica?

www.pablocapistrano.com.br

Quem é?

Pablo Capistrano, escritor e filósofo.

Como é que é mesmo?

Uma das mentes mais brilhantes da cidade atualiza constantemente sua página onde publica suas crônicas semanais sobre cotidiano, música, literatura, cultura pop e filosofia. No terreiro de Pablo você também pode ler uma entrevista com o autor e saber mais sobre os livros publicados por ele. O professor é a favor de uma suruba planetária como solução para os problemas raciais e explica que começou a escrever por duas razões básicas: não sabe desenhar e é perna de pau no futebol.

O que você não vai encontrar lá:

Rapaz, o pior é que Pablo é capaz de falar de tudo com a mesma desenvoltura: desde iogurte achocolatados à irracionalidade por trás do amor clubístico no futebol.

Pablo Capistrano, a Márcia Tiburi brasileiro.

Pablo Capistrano, a Márcia Tiburi brasileiro.

 

 

 

6 – Faixa bônus

Blogue da Kriterion

Como é o nome?

Jairo Lima, escritor, publicitário e livreiro.

Onde fica?

www.kriterion.zlg.br e também no Mercado de Petrópolis.

Como é que é mesmo?

Jairo Lima é pernambucano, mas reside em Natal há vários anos, o que faz dele um potiguar honorário. Por essa razão ele entrou na faixa bônus desse top 5. A Kriterion está sempre abastecida de bons livros e Jairo está sempre aberto ao monólogo. Na verdade, ele é uma espécie de Forest Gump do Capibaribe que já viu e viveu de tudo, além de ter topado com muita gente boa e talentosa. Portanto, quem quiser ouvir boas histórias, comprar alguns belos tomos da boa literatura e ainda encher o bucho com os deliciosos almoços de sábado, passa no Mercado de Petrópolis. O blogue é um compêndio de citações, referências, textos ilustres e interessantíssimos, além das ótimas entrevistas Hai-kais, invenção de Jairo ao melhor estilo bate-e-pronto.

O que você não vai encontrar lá:

A bibliografia completa de Maitê Proença.

Space Invaders

dezembro 9, 2008

Mais de 450 acessos e 40 comentários em um dia.

Que beleza!

Valeu mesmo, gente.

 

Pessoas dos dois lados da cidade se reuniram na Ponte de Todos para comemorar a minha estréia na blogosfera. Foi a maior comemoração já resgistrada em terras potiguares desde que Marina Elali ficou em terceiro lugar no Prêmio Hangar 98.

Pessoas dos dois lados da cidade se reuniram na Ponte de Todos para comemorar a minha estréia na blogosfera. Foi a maior comemoração já resgistrada em terras potiguares desde que Marina Elali ficou em terceiro lugar no Prêmio Hangar 98.

E para provar que os frequentadores deste blogue estão muito mais ligados em cultura do que em qualquer outra coisa, quero registrar que, segundo o google analytics, teve mais gente clicando no endereço do blogue Internetcidade do jornalista Paulo Celestino do que na etiqueta “Juliana Paes nua” que acompanhava o poste de ontem.

 

Vou tentar uma etiqueta mais chamativa no post de hoje para ver se eu potencializo ainda mais os acessos.

Este é o primeiro post do resto de nossas vidas!

dezembro 8, 2008

Sucumbi! Já não era sem tempo. Finalmente tenho um blog para chamar de meu. Não preciso mais sair por aí com a camisa e o boné do MSB, mendigando bytes em sites (ou sítios pra ficar mais adequado) que são verdadeiros latifúndios digitais, gritando palavras de ordem e promovendo assentamentos clandestinos em colunas de amigos.

Agora vou ficar por aqui mesmo e plantar meu conteúdo devagarzinho. Aos poucos, vou aprendendo a mexer nas ferramentas e cultivar umas crônicas, umas notas, uns aforismos, umas referências e vender o excedente para os parceiros como os sites da Diginet, o Querido Bunker, o Samba Punk, Entrerios, Plog e o Apyus.com.

A primeira vez que ouvi falar de blogs foi através de Paulo Celestino em 2001. Ele recomendou que eu pusesse um no ar para postar minhas crônicas. Preferi publicar um livro e acho que as coisas funcionaram bem desde então. E minha mãe que dizia que essa teimosia não ia me levar a lugar nenhum!

Mas você (Alô! Tem alguém aí?) deve estar se perguntando: “Por que djabo ele resolveu finalmente ter um blog?!”

Pois é. Por que?

É que eu quero deixar registrado aqui o dia-a-dia da produção dos meus próximos livros. Estou com um livro pronto que deverá sair nos próximos meses, chamado “Mano Celo – Rapper Natalensis”. E estou escrevendo outro chamado “Cantos das Cidades”.

Será que vai dar? Se der, conto aqui. Se não rolar, conto também e ainda acuso os possíveis culpados pra todo mundo ficar sabendo!

Valeu!
E até sempre.
Carlos Fialho