Coluna da Digi # 91 – Top 5 Literatura 2009

No dia 30 de dezembro de 2009, publiquei a segunda parte da retrospectiva daquele ano, desta vez enfocando os livros. Li umas cousas muy buenas na temporada que passei na Espanha. Belas dicas.

Boa leitura e boas leituras.

***

Top 5 2009 – Literatura  

Laranja Mecânica, há mais de 4 décadas fundindo cérebros mundo afora.

Diferentemente da lista dos filmes, a de livros não terá uma ordem de preferência. Citarei os top 5 com breves comentários, mas sem dizer qual deles é o melhor na minha opinião, mesmo porque, eu não saberia fazê-lo.

O homem do Castelo Alto – Philip K Dick

No final de 2008, li na coluna Bazar de Alex de Souza no portal Nominuto, uma breve sinopse deste romance de Philip K Dick a respeito de um desfecho diferente na Segunda Guerra Mundial. As nações do Eixo haveriam vencido a guerra e o mundo, em 1960, se encontrava loteado entre Alemanha, Japão e Itália. Trata-se de uma rara história de K Dick que nunca recebeu uma adaptação para o cinema e, segundo informou Alex em sua coluna, inaugurou o gênero de “História Alternativa”, hoje muito difundido na ficção científica e que alcançou seu auge com “The Watchmen” de Alan Moore.  Publicado com capricho pela editora paulista Aleph, para mim é simplesmente inexplicável que ainda não tenha ido parar na telona.

Crime e Castigo – Fiodor Dostoievski

Esse livro eu estava me devendo a mim mesmo. Minha namorada me emprestou e dediquei umas boas semanas em sua leitura. Era só ter uma folguinha do trabalho ou momento de solidão que abria o Dostô pra descobrir o que o Raskolnikof iria aprontar em seguida. Já escrevi aqui em outras oportunidades que “Os Irmãos Karamazov” é o melhor livro que eu já li. Isto posto, fica justificada a obrigatoriedade de ler também o “Crime e Castigo”. Muito bom! Que adorável canalha que é o protagonista assassino de velhinhas.

Laranja Mecânica – Anthony Burgges  

Escrevi uma crônica inteira sobre o livro, ainda inédita, mas que deverá ser publicada aqui mesmo na Digi. Fiquei muito impactado pela história e encantado pelo autor, Anthony Burgges. A maneira como ele escreveu sua história passada num futuro próximo sombrio, em que as ruas, durante a noite, viram território livre para adolescentes violentos e niilistas saquearem, agredirem, estuprarem e consumirem drogas, é quase hipnótica. O jogo de palavaras que ele utiliza também é sensacional. Burgges criou uma língua própria de seus adolescentes, o Nasdat, e no fim do livro, de tão habituados com os termos ditos pelos jovens, nós próprios já nos encontramos quase fluentes no idioma. É considerado ao lado de “Admirável Mundo Novo” (Aldous Huxley) e “1984” (George Orwell) como uma espécie de santíssima trindade da ficção. Justíssimo.

A Fortaleza dos Vencidos – Nei Leandro de Castro

Nei Leandro de Castro em estado puro. Um livro cheio de sátira, uma ótima narrativa, ambientado num período de grande relevância histórica para o nosso país. Um dos melhores lançamentos do ano em terras potiguares. Ótima leitura para as férias de verão.

O cobrador – Rubem Fonseca

Entra na lista porque foi graças a ele que voltei a ler o Zé Rubem depois de uns anos de pausa, felizmente interrompida por este que é um dos mais emblemáticos livro de contos de sua carreira.

A zona do desconforto – Jonathan Frazen

Este livro é uma biografia do autor norte-americano premiado com o romance “As Correções”. Uma história contada francamente em que divide com os leitores sua história de vida sem se preocupar em fazer demasiados floreios e ainda contextualiza os acontecimentos de sua vida com a história dos Estados Unidos e com as figuras da cultura pop que povoavam sua vida como o Snoopy e as bandas de Rock. Este livro entrou na lista por razões pessoais e também porque eu sempre fui meio capenga em matemática, a ponto de, como vocês podem averiguar, fazer uma lista de 5 com a presença de 6. Normal. As razões pessoais se dão porque estou tentando escrever uma história longa aqui do exílio onde me encontro e o livro do Frazen me ajudou a elucidar algumas dúvidas narrativas que tento esclarecer para que meu trabalho resulte em uma boa história.

Menção Honrosa

Zombie Evolution – El libro de los muertos vivientes en el cine – José Manuel Serrano Cueto

Gostei muito de ter lido este livro-reportagem sobre a história e os detalhes dos filmes de zumbis. O resultado da leitura se deu através de 4 crônicas publicadas recentemente aqui mesmo na Digi. Quem tiver curiosidade de ler, basta clicar em colunas anteriores deste autor.

Feliz 2010!

Tags: , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: