Coluna do Novo Jornal – 020 – A última reunião de Dona Noilde – 08.01.2011

Tive a honra e o privilégio de conviver com uma das pessoas que mais fez pela educação do nosso Estado em toda a nossa história. Na triste ocasião do seu falecimento, publiquei esta coluna.

***

A última reunião de Dona Noilde

D. Noilde

Há pessoas que se destacam de tal forma na vida de uma cidade que acabam por se tornar maiores do que o próprio local onde vivem. Em Natal, isso é bem comum, uma vez que sofremos da eterna privação de pessoas verdadeiramente célebres, que sejam dignas de culto, de justa reverência, de merecidas homenagens. Somos uma cidade marcada pelo signo do “mais-ou-menos”, povoada por uma sociedade zelosa de seus valores frívolos e com um baixíssimo grau de exigência em relação à boa educação, à reputação ilibada e ao comportamento adequado de nossas autoridades, nossa elite e nossos conterrâneos mais, por assim dizer, ilustres.

Tais características só enfatizam sobremaneira o legado deixado por Dona Noilde Ramalho que, certamente, foi uma cidadã acima da média (e assim seria mesmo que a média em nossa província que sonha em ser metrópole fosse alta). Graças ao seu trabalho, sua obra e a atenção que dedicou durante tantos anos à educação em nossa cidade, algo tão negligenciado nessa esquina tropical, Dona Noilde passou a habitar o inconsciente coletivo de todos os natalenses. Virou sinônimo de caráter, fibra e trabalho árduo em prol do ensino de qualidade, a única coisa capaz de nos resgatar das profundezas da ignorância onde invariavelmente nos escondemos. Seu nome pairava no ar e se havia tornado um exemplo de liderança e pioneirismo incontestável.

No fim de 2010, no auge dos seus 90 anos, tive o privilégio (e aqui tal palavra é mais do que adequada, mas necessária) de conhecê-la pessoalmente. Ela queria conversar comigo, com a jornalista Graciema Carneiro e o diretor de arte Arnaldo Araújo a respeito da divulgação do centenário da Liga de Ensino do Rio Grande do Norte. A Liga foi fundada por Henrique Castriciano em 1911 com o objetivo de promover o desenvolvimento do nosso Estado por meio da educação. A primeira instituição fundada pela Liga foi a Escola Doméstica, criada para oferecer boa educação às mulheres que, àquela época não recebiam educação formal, sendo, quando eram, educadas em casa. Dona Noilde queria que começássemos pela criação de uma logomarca comemorativa do centenário. Contou-nos toda a história da entidade com invejável domínio e absoluta clareza, ressaltando sua importância e nos dizendo que naquele tempo havia pessoas que se dedicavam ao trabalho voluntário em benefício de uma comunidade ou de uma cidade.

Bem humorada e bastante segura, logo estava batendo papo sobre assuntos diversos que marcaram a história das escolas que dirigia. Falou-nos de Nísia Floresta e da visita que a escola recebeu da professora Constância Duarte, especialista na escritora potiguar. A certa altura, ao ser informada que eu escrevo textos semanais para este jornal, presenteou-me com um livro de crônicas de autoria de ninguém menos que o próprio Henrique Castriciano. Comecei a folhear o livro e percebi a existência de um texto que falava de alguns conterrâneos seus, os natalenses de 100 anos atrás. Chamava-se “Os imbecis”. Fiquei surpreso com 3 coisas: 1º ao saber que já havia imbecis em quantidade na cidade àquela época, 2º ao concluir que tal tipo humano é caracterizado pela longevidade centenária e, principalmente, em conhecer uma crônica de Henrique Castriciano intitulada dessa forma.

Tomado por leve e insensato momento de desenvoltura, comentei com ela: “Dona Noilde, veja esse texto. Chama-se Os Imbecis. Ele tava com raiva de alguém nesse dia.” Ela riu e explicou que o escritor se utilizava de pseudônimos para expressar opiniões mais fortes e contundentes com relação a Natal e seus cidadãos, fato que eu próprio pude comprovar algumas páginas adiante ao ver os textos “Os Imbecis 2” e “Os Imbecis 3”. Não me contive novamente e comentei: “Ô raiva pra durar!”, ao que ela respondeu rindo generosamente mais uma vez.

Dias depois voltamos à Escola Doméstica para apresentar o trabalho encomendado. Na verdade, nesta segunda ocasião, eu não pude ir. Arnaldo e Graciema foram mostrar as 3 opções de logomarca que nós preparamos para ela. Uma delas, a que mais gostávamos, era muitíssimo ousada, cheia de elementos modernos, coloridos, identificados com essa geração Facebook-Restart. Acreditávamos que aquela seria naturalmente descartada, pois ela acabaria optando por uma das outras duas mais sóbrias que levávamos. Até pela cerimônia inerente à ocasião (o centenário de uma instituição importante) era de se esperar que uma alternativa mais clássica fosse escolhida.

No momento em que viu as 3 marcas, porém, ela não teve dúvidas. Disse que queria aquela mais moderna, pois transmitia exatamente o que ela gostaria: “Uma instituição centenária, mas que se atualizou com a sociedade.” Pediu, no entanto, para que utilizássemos uma das outras mais sóbrias para estampar placas e medalhas que serão distribuídas durante o ano para “não chocar demais os mais conservadores”, explicou. Era como se ela nos dissesse: “Essa marca aqui combina mais conosco, que somos jovens.” Com isso, a marca ousada que apresentamos assinará todas as peças de divulgação do centenário da “Liga de Ensino para o Desenvolvimento do Rio Grande do Norte”.

Após essa reunião, Dona Noilde saiu para almoçar e, naquela mesma tarde, viajou. Acabaria partindo para uma viagem mais longa ainda e não participaria mais de outras reuniões de trabalho. Guardo o livro de Henrique Castriciano com que ela me presenteou com muito carinho e pretendo escrever brevemente uma crônica a respeito da série de textos “Os Imbecis”. Na lembrança guardo também a alegria de ter conhecido pessoalmente alguém que foi sinônimo de vitalidade, dedicação e alvo da mais justa admiração de todos nós. Uma pessoa que merece todo o destaque que teve em vida e continuará tendo sempre, não só por ser uma cidadã acima da média, não apenas por estar acima de todos nós, mas também por estar à frente.

Tags: , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: